Hunting, preparing, and eating ns ‘bicho dá mato’: feeding practices among quilombolas in the Ipaú-Anilzinho Extractive make reservation (Pará State)


Rodrigo Augusto alves de Figueiredo Universidade federal do Pará. Belém, Pará, Brasil. Flávio Bezerra barros Universidade comunidade do Pará. Belém, Pará, Brasil.

Você está assistindo: Como tirar o cheiro da capivara para assar


Flávio Bezerra Barros. Universidade comunidade do Pará. Núcleo de ciências Agrárias e desenvolvimento Rural açúcar Augusto Corrêa, n. 1, cidade Universitária joseph da Silveira Netto, Guamá. Belém, PA, Brasil. CEP 66075-110 (flaviobb
Resumo

A caçar de animal silvestres tem executar um departamento importante para der reprodução física e simbólica de famílias rurais o que vivem em diferente regiões tropicais dá planeta. Com efeito, um monte de dimensões a partir de uso de recurso cinegéticos gostar de fonte de alimentação ainda não passou a ser suficientemente estudadas, sobretudo são de pontos de vejo da Antropologia e da Etnoecologia. Então dimensões, abranger frequência, são ignoradas fazendo intervenções de preservação da biodiversidade. Este artigo tem através dos objetivo analisa o usar da animal silvestre em práticas alimentando por familys da comunidade quilombola de joana Peres, mentira na fazer uma reserva Extrativista Ipaú-Anilzinho, 1 unidade de conservar situada enquanto município de Baião, Pará, Amazônia brasileira. Conduzimos o estudo naquela partir são de pressupostos da Etnoecologia. Destacamos os grupo de ordem social e cultural que norteiam os jurídico de obtenção, preparo e consumo de comida a partir da trabalhar cinegética. Empregamos os métodos da observação participante e entrevistas mente aberta e semiestruturadas. Interpretamos os dados tanto de caminho qualitativo gostar de quantitativo. Particularmente, para cada uma das espécies citadas procuramos calculado o lista de estimado de usar (VU), o que possibilita provar o degrés de significado relativa do espécies conhecido localmente. O estudo evidenciou eu imploro seu perdão a trabalhar cinegética relacionado a tanto aspectos nutricionais como socioculturais, uma giradas que os recurso faunísticos fornecem proteína e together práticas alimentares são permeadas por diferentes advogado que consiste em costumes, imaginários, sociabilidades, tabus e modos de preparo.

Palavras-chaveCaça; Antropologia da alimentação; Etnoecologia; conhecimento tradicional; Quilombolas; Amazônia


Abstract

Hunting of selvagem animals has played a significant function in the physical e symbolic reproduction of rurais families vida in various subtropical regions of ns planet. Indeed, plenty of dimensions of making use of cynegetic resources as naquela source of human being food have actually not been sufficiently studied, yet, above tudo de from the viewpoints that Anthropology and Ethnoecology. Together dimensions ~ ~ often overlooked in biodiversity conservation interventions. This article intends to analyze the use of wild animals in feeding practices among families in a quilombola community of jonah Peres, located in ns Extractive reserve Ipaú-Anilzinho, a conservation unidade within ns municipality the Baião, Pará, Brazilian Amazon. We conducted the aprender by using Ethnoecology postulates. We highlight facets having a social and cultural nature that guide a procedures porque o obtaining, preparing, and eating food through a cynegetic activity. Us employed a methods the participant observation e semi-structured e open interviews. Us interpret encontro both qualitatively e quantitatively. Particularly, for each of ns species discussed we look for to calculate ns index of usar Value (UV), which enables to demonstrate the degree of relative importance of locally known species. The pesquisar has displayed that the cynegetic activity involves both nutritional e socio-cultural aspects, due to the fact that wildlife resources carry out protein and the diet practices are permeated by assorted processes including habits, imaginary, sociability, taboos, e preparation modes.

KeywordsHunting; anthropology of food; Ethnoecology; classic knowledge; Quilombolas; Amazonia


INTRODUÇÃO

Os animais silvestres têm educado uma a fonte de proteína importante na elétrico evolutiva pessoa e nas mais diferentes culturas. Estude nesse senso têm observado e descrito a caçar como 1 prática todos os dias em diferente partes do mundo (Beltrán, 1966BELTRÁN, Enrique. La administración de la fauna e flora silvestre. In: laboratório MEXICANO DE recursos NATURALES RENOVABLES. Mesas redondas sobre problema de cazã y pesca Deportivas en México. México: Ediciones del laboratório Mexicano de recurso Naturales Renovables, 1966. P. 225-259.; Linares, 1976LINARES, Olga F. “Garden hunting” in the americano tropics. Person Ecology, v. 4, n. 4, p. 331-349, Oct. 1976.; Cooke, 1981COOKE, Richard. G. Eles habitos alimentarios de los indigenas precolombinos de Panama. Revista doutor de Panamá, Panamá, v. 6, n. 1, p. 65-89, 1981.; Godelier, 1992GODELIER, Maurice. L’idéel et le matériel: pensée, économies, sociétés. Paris: Fayard, 1992. 350 p.; Shepard Jr., 2014SHEPARD JR., valley Harvey. Searching in Amazonia. In: SELIN, Helaine (Ed.). Encyclopaedia of a History that Science, Technology, e Medicine in Non-Western Cultures. Springer, p. 1-7, July 2014.). Um dos enfrentar que tenho aflorado der partir como estudos excluir a compridas diversidade de usos da fauna e flora silvestre, conectado à andamento cultural na ligação homem/fauna, embora a alimentando de subsistência continue sendo o adicionar representativo.

Na África, por exemplo, os recurso faunísticos servem como a maior a fonte de alimento para muitas famílias rurais eu imploro seu perdão vivem no austral do Sahara (Asibey, 1974ASIBEY, Emanuel O. A. Wildlife as der source of protein in Africa sulista of the Sahara. Organic Conservation, Boston, v. 6, n. 1, p. 32-39, jan. 1974.) e na República do Congo (De Merode et al., 2004DE MERODE, Emmanuel; HOMEWOOD, Katherine; COWLISHAW, Guy. Ns value of bushmeat e other wild foods to rural households vida in extreme poverty in democratic Republic of Congo. Biological Conservation, Boston, v. 118, n. 5, p. 573-581, Aug. 2004.). Não obstante, estudando feitos enquanto México identificar que o consumo de diversificado espécies de caça tem considerável relevância ao subsistência e reprodução de comunidade rurais localizado na região de Quintana Roo (Jorgenson, 1993JORGENSON, Jeffrey Paul. Gardens, wildlife densities, e subsistence hunting by Maya indians in Quintana Roo, Mexico. 1993. 338 f. Thesis (Doctorate in Philosophy) universidade of Florida, Florida, 1993.) e na península de Yucatán (Santos-Fita et al., 2012SANTOS-FITA, Dídac; NARANJO, Eduardo. J.; RANGEL-SALAZAR, josé Luis. Wildlife uses and hunting patterns in interior communities of the Yucatan Peninsula, Mexico. Journal of Ethnobiology e Ethnomedicine. Londres v. 8, n. 1, p. 1-38, 2012.). Na estados unidos da america do Sul, muito de grupos étnicos, tais gostar de os todos indígenas, até dependem cheio da fauna e flora silvestre para adquirir a energético necessária à sua sobrevivência (Esser, 1979ESSER, J. The importance of wild animals for utilization the marginal areas in ns tropics e subtropics. Fauna e flora Research e Development, p. 121-127, 1979.; Ojasti, 2000OJASTI, Juhani. Manejo de fauna silvestre neotropical. Francisco Dallmeier (Ed.). Condições Unidos: Smithsonian Institution/MAB Program, 2000. 290 p.).

Neste ponto, denominações de se destacar que a caça está inserida numa rede de eletivos e utilização de alimentos altamente influenciada pelos padrões ecológicos, conciso e cultural que regem seu definição de papel social. Enquanto entanto, temse pouco conhecimento sobre os diferentes aspectos que estruturam e regulam o uso da fauna e flora silvestre em práticas alimentares, especialmente entrada os pessoas tradicionais dá Brasil. Tem-se 1 grande gracioso de estudar que incorporem melhor a compreendo da caçar como uma trabalhar que estabelece conexões entrou a ordem essa e imaterial nós modos de apropriação da natureza, por sim em conta eu imploro seu perdão as relações no seres humanos abranger seus ambiente abrangem questões de atribuição perceptiva, reconhecimento e prática sobre o território (Descola, 1998DESCOLA, Philippe. Estrutura alternativa sentimento: a relação alcançar o fauna e flora na Amazônia. Mana, rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 23-45, abr. 1998.; Viveiros de Castro, 2002VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Naquela inconstância da alma brutalmente e outros redação de Antropologia. Elas Paulo: Cosac & Naify, 2002. 552 p.).

estudos antropológicos para a alimentação como parte da cultivo de um agrupado humano têm divulgação importantes descoberta e anotações sobre naquela forma de produção, preparo e consumo de alimentos, provar que o agir de se alimentar algum responde somente à satisfação de 1 necessidade biológica (Richards, 1939RICHARDS, Audrey Isabel. Land, labour and diet in northern Rhodesia: an Economic aprender of ns Bemba Tribe. London: internacional Institute of afri Languages & society by oxford University Press, 1939. 415 p.; Firth, 1961FIRTH, Raymond. We, a Tikopia: der sociological study of Kinship in Primitive Polynesia. 2nd. Ed. London: allen & Unwin, 1961.; De Garine, 1995DE GARINE, Igor. Los aspecto socioculturales de la alimentación. In: CONTRERAS, Jesús (Comp.). Alimentación y cultura: necesidades, gustos y costumbres. Barcelona: Universitat de Barcelona, 1995. P. 129-170.). Aqueles ideia por em discussão o pesquisar da alimentando como uma método de analisa o sistema de vivendo e naquela relação entrada o arredores e ministérios desenvolvimento cultural (Vila, 2012VILÀ, Miriam Bertran. Reflexões sobre a analisado antropológica da alimenta no México. In: MENASCHE, Renata; ALVAREZ, Marcelo; COLLAÇO, Janine (Org.). Dimensões socioculturais da alimentação: diálogos latino-americanos. Porto Alegre: editor da UFRGS, 2012. P. 29-44.). Cada agrupadas humano, vir longo de deles evolução, adaptou-se aos adicionar diversos tipos de ambientes e seus alimentação, consequentemente, sofreu influências ns limitações de meio ambiente e econômicas, mas ~ da estruturação de as regras e interdições próprias, relacionadas com o que é considerado comestível ou algum (Costa-Neto, 2011COSTA NETO, Eraldo Medeiros. Antropoentomofagia: sobre o consumo de insetos. In: beach NETO, Eraldo Medeiros (Org.). Antropoentomofagia: erro na alimentando humana. Somente de Santana: UEFS Editora, 2011. P. 17-37.). Depreende-se daí, através dos exemplo, as interdições alimentando de vergonha religioso e cosmológico o que pairam cerca de o universo dos pessoas tradicionais e lei como um elemento de identidade cultural, mas que reconheçamos todos a complicação que permeia essa noção.

Nessa perspectiva, naquela artigo apresenta e análise os resultado de um estudo sobre ministérios uso da animal silvestre em práticas alimentando por familys de uma comunidade quilombola da Amazônia brasileira. A partir de ponto de vejo metodológico, utilizamos a apelo da Etnoecologia, uma ciência interdisciplinar que ópera na interface entre as ciência Sociais e as ciência Naturais, tendo gostar objetivo quartel general compreender gostar as sociedades humano se interrelacionam alcançar o ambiente natural que isso é em deles volta (Toledo, 1992TOLEDO, vencedora M. What is ethnoecology? Origins, scope e implications of naquela rising discipline. Etnoecológica, v. 1, n. 1, p. 5-21, abr. 1992.; Toledo; Barrera-Bassols, 2009TOLEDO, vencedor Manuel; BARRERA-BASSOLS, Narciso. A etnoecologia: uma ciência pós-normal que estude as sabedorias tradicionais. Desenvolve e bastante Ambiente, Curitiba, n. 20, p. 31-45, jul.-dez. 2009.; Nazarea, 1999NAZAREA, Virginia D. Ethnoecology: positioned knowledge/located lives. Arizona: university of arizona Press, 1999. 299 p.). A vantagem desta abordado teórica denominada a probabilidade de dialogar alcançar o conhecimento local para os recursos natural numa perspectiva que converge com a diversidade de interações homem/animais.

Ver mais: Como Saber Se Ele Tem Interesse, Como Saber Se Ele(A) Está A Fim De Você

Levando em conta os apontamentos acima, as principalmente questões que procuramos responder abranger esta enquete foram: i) Que apresentou socioculturais are presentes na atividade de caçando e no açao de se alimentar entrou os quilombolas da área estudada? ii) Que animal são caçados para uso alimentar nesta ajudando da Amazônia? iii) o que preferências e limitações (tabus) ser estar incorporados no consumo da caçar na região? iv) gostar de se organiza o trabalho familiar em torno da caçar e quais formas de sociabilidade marcam der prática?

ÁREA DE estudo E naquela COMUNIDADE: OS desafiando DO área

A gamas deste estudo consiste em a federal quilombola de jonah Peres (49º 44’ 55” O, 03º 00’ 57” S), mentira na reservas Extrativista (RESEX) Ipaú-Anilzinho, ns Unidade de conservar (UC) de uso Sustentável, distrito de Baião, Pará, Amazônia brasileiro (Figura 1). Together RESEX’s inventar uma das categoria de gamas protegidas do Brasil, usualmente concebida como ajuda de uma abriga empreendida pela seringueiros da florestas Amazônica na década de 1980. Essa a luta foi leva a pelo seringueiro e sindicalista Chico Mendes para a de confiança de acesso aos recursos naturalmente e ocultar das territorialidades e modos de determinação dos pessoas da floresta. Fazendo RESEX’s, pele seu condição de UC de usar sustentável, a utilização dos recursos naturais ele deve ter se dar de maneira a conciliar muitos as necessidade humanas como os objetivos de preservação e desenvolve (Allegretti, 1989ALLEGRETTI, M. H. Fazer uma reserva extrativistas: uma preeminência de em desenvolvimento da florestas Amazônica. Pará Desenvolvimento, Belém, v. 25, p. 3-29, 1989.).