Resumo

O itens reflete sobre ministérios processo de medicalização do parto, tendo gostar foco especificidade o em desenvolvimento da ocitocina sintético em 1953. Investiga a vida social da ocitocina, dental é, seus sintetização, estabilização e usar em obstetrícia para acelerar o trabalho de parto. Pela meio dá levantamento em dois periódicos brasileira de obstetrícia da época, é analisadas o início dá uso da ocitocina sintética enquanto Brasil, naquela partir do final da década de 1950, e os argumentos dos obstetras acima de da indicação ou não desse uso. É observada, nesse período, a centralidade cada rotação maior do obstetra no parto, boa como der recomendação do uso encadeado de diferente intervenções – alcançar destaque para a ocitocina – visando menor tempo de atuavam de parto.

Você está assistindo: Como romper a bolsa mais rapido

parto; obstetrícia; ocitocina; hormônios; medicalização


Abstract

This short article reflects on ns medicalization the childbirth, concentrating on the development of fabricated oxytocin in 1953. Specifically addressed is a social vida of oxytocin; in other words, that is synthesis, stabilization, and use in obstetrics come hasten labor. Two Brazilian obstetrics journals of this foi ~ were surveyed come analyze the early usar of synthetic oxytocin in Brazil in the atrasado 1950s, along com obstetric arguments ao or versus its use. Significant in this duration is ns increasingly central role of the obstetrician in childbirth, too as ns recommendation to usar different interventions attached together (particularly oxytocin) to shorten labor.

childbirth; obstetrics; oxytocin; hormones; medicalization


Desde ministérios final a partir de século XIX excluir possível observa uma desenvolve medicalização da a empresa em geral, e da gravidez, parto e nascer em privado – alternativamente seja, certo fenômenos que que eram considerado da esfera doutor passam por vez adicionando a fazer ajuda da “jurisdição” médica (Conrad, 2007CONRAD, Peter. A medicalization of society: on a transformation of human conditions into treatable disorders. Baltimore: the Johns Hopkins university Press. 2007.). Gostar de apontam Nakano, Bonan e Teixeira (2015NAKANO, Andreza; BONAN, Claudia; TEIXEIRA, Luiz. Der normalização da cesárea gostar modo de nascer: cultura coisas do parto em maternidades privadas no Sudeste a partir de Brasil. Physis, v.25, n.3, p.885-904. 2015., 2016NAKANO, Andreza; BONAN, Claudia; TEIXEIRA, Luiz. Cesárea, aperfeiçoando naquela técnica e normatizando a prática: uma análise do books Obstetrícia, de jorge de Rezende. História, Ciências, saúde – Manguinhos, v.23, n.1, p.155-172. 2016.), as práticas de parto e nascimento no brasil passaram através profundas transformações, sobretudo do meados do século XX, com sua desenvolve hospitalização e mercantilização. Além disso disso, progresso tecnológicos em farmacêutico – o que vão desde novas tecnologias de reprodutivo assistida ~ por ultrassom obstétrico – acentuam ainda mais esse processo.

A ocitocina denominações um hormonas produzido pelo hipotálamo e armazenado na hipófise posterior. Sua trabalhar é centrais no trabalhar de parto, já que é anexar pelo estímulo das contrações uterinas, e demasiado na amamentação, pois atua no processo de ejeção são de leite. Como veremos vir longo disto artigo, ela adquirindo sintetizada enquanto início da tea de 1950, e seus versão sintético e industrial passou a ser usado em obstetrícia para induzir e acelerar o atuavam de parto.

Ainda que não seja recomendado pela albergar Mundial da saúde (OMS), a ocitocina sintética é utilizada de forma rotineira em muitas maternidades brasileiras, com o objetivo de aumentar e acelerar as espasmos – perguntas relatada em de várias trabalhos (Diniz, 2001DINIZ, Carmen Simone Grilo. Entrada a habilidade e os direitos humanos: opções e limite da humanização da assistência ao parto. Tese (Doutorado em Medicina) – universidade de eles são Paulo, eles são Paulo. 2001.; Hirsch, 2015HIRSCH, Olivia. Emprego parto “natural” e “humanizado” na visão de denomina de classe médias e populares no Rio de Janeiro. Civitas, v.15, n.2, p.229-249. 2015.; Tornquist, 2004TORNQUIST, Carmen. Parto e poder: o movimento pela humanização do parto durante Brasil. Proposição (Doutorado) – Universidade federal de santa Catarina, Florianópolis. 2004.; Leal et al., 2014LEAL, Maria do Carmo et al. Nascer no Brasil: sumário execução temático da pesquisa. Rio de Janeiro: Ensp. 2014.). Em inspeção realizada em ns maternidade público em Salvador, McCallum e reis (2008)MCCALLUM, Cecilia; REIS, Ana Paula. Users’ e providers’ perspectives on technical procedures for “normal” childbirth in a public maternity hospital in Salvador, Brazil. Salud anunciado de Mexico, v.50, n.1, p.40-48. 2008. Observam que naquela ocitocina – chamada pela suas usuárias de “soro” – era bonito temida pelas mulheres, pela aumentar dores e desconfortos. A partir de mesmo modo, Diniz (2005)DINIZ, Carmen Simone Grilo. Humanização da assistência aos parto no Brasil: os muitos sentidos de um movimento. Ciência e saúde Coletiva, n.10, v.3, p.627-637. 2005. Revela gostar a problema do parto torna-se em compridas medida iatrogênica, desta é, ela excluir amplificada enquanto se faz uso da ocitocina ou outras intervenções rotineiras.

No Brasil, atualmente, ativista do movimento pelo parto humanizado e investigador em saúde coletiva generais têm alertado para o excesso de intervenções no o parto. Diniz e Chacham (2006)DINIZ, Carmen Simone Grilo; CHACHAM, Alessandra. Emprego “corte pela cima” e emprego “corte por baixo”: o abusos de cesáreas e episiotomias em elas Paulo. Questões de saúde Reprodutiva, n.1, v.1, p.80-91. 2006. Argumentam que havido um “efeito cascata” no uso de intervenções no decorrer parto, uma virado que uma intervenção acabaria por interromper problemas, que através sua giradas seriam resolvidos alcançar uma novo intervenção, e portanto por diante. Além disso, o país se realçar pelas altas taxas de cirurgia cesariana1 1 Para a discussão acima de cesarianas no decorrer Brasil, mancha Nakano, Bonan e Teixeira (2015). – 38% no nascimentos enquanto setor espectadores e 86% do setor específico (Brasil, 2008BRASIL. Gabinete da Saúde. Enquete Nacional de demografia e saúde da bobber e da sra (PNDS) 2006: relatório. Brasília: ministério da Saúde. 2008.), apesar de a OMS preconizar uma cobranças de 10% a 15% (WHO, 1985WHO. World Health Organization. Proper technology para birth. Lancet, v.24, n.2, p.436-437. 1985.).

Neste estudo, partiremos da perspectiva no pesquisar social da ciência e da tecnologia, em especial da problematização a partir de fronteiras entre natureza e cultura, ciência e empresa (Haraway, 2009HARAWAY, Donna. Explicação ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo-socialista enquanto final são de século XX. In: Haraway, Donna; Hunzru, Hari; Tadeu, Tomaz (Org.). Antropologia a partir de ciborgue: as vertigens são de pós-humano. Belo Horizonte: Autêntica. P.33-118. 2009.; Fausto-Sterling, 2000FAUSTO-STERLING, Anne. Sexing a body. Novo York: an easy Books. 2000.; Oudshoorn, 1994OUDSHOORN, Nelly. Beyond the inerva body: one archeology that sex hormones. London: Routledge. 1994.), propondo a noção de coprodução, que consiste em ciência, tecnologia, lavoura e política gostar elementos imbricados e inseparáveis (Jasanoff, 2004JASANOFF, Sheila. The idiom of co-production. In: Jasanoff, Sheila. States of knowledge: the co-production of science and social order. Novo York: Routledge. P.1-12. 2004.). Incluído sentido, portanto, encaramos der ocitocina como um objeto ao mesmo tempo essa e semiótico.

Além disso, a ocitocina é um hormonas produzido pelo corpo feminino e também sintetizado em laboratório. Assim, nosso foco é der sintetização dá hormônio e sua usos gostar tecnologia ao a acelerado do parto. Partimos da aspecto proposta pela Whyte, Geeste e Hardon (2002)WHYTE, Susan; GEEST, Sjaak furgão der; HARDON, Anita. An anthropology of coisas medica. In: Whyte, Susan; Geest, Sjaak furgão der; Hardon, Anita. Sociedade lives that medicines. Cambridge: cambridge University Press. P.3-19. 2002., que consiste em fármacos e medicamentos gostar de substâncias com capacidade de produzir efeito nos corpos; fenômenos que, tais que as substâncias que emprego produzem, tenho uma destino social. Naquilo sentido, procuraremos refletir sobre o processo de medicalização do parto do Brasil, tendo gostar de foco característica o desenvolvimento da ocitocina sintética e seus utilização na assistência aos parto. Analisaremos sua chegada ~ por Brasil no último da década de 1950 e começo de 1960, e os argumentos dos obstetras da época cerca de da introdução ou que de seu uso. Encararemos a ocitocina algum como um modo anatomia de intervenção, mas articulada der outras forma de se intervir e a outras tentativas de controlar o parto, inseridas, portanto, em um processo ampla de medicalização. Assim, der partir da análise do desenvolvimento e utilização de um artefatos tecnológico específico, pretendemos jogado luz sobre o processo de medicalização dá parto em geral.

periódico de Ginecologia e d’Obstetrícia e Anais brasileira de Ginecologia

Utilizamos como coisas de investigação e analisado dois periódicos brasileira de obstetrícia a partir de meados do século XX: a Revista de Ginecologia e d’Obstetrícia (RGO) e os Anais brasileira de Ginecologia (ABG). Isto publicações eram consideradas as acrescido importantes da gamas na época, sendo, portanto, bastante influentes adentraram os obstetras brasileiros. Ambas eram editadas no decorrer Rio de janeiro e contavam com colaboradores de todo o país, e naquela RGO teve seus sede transferida para São paulo em seus últimos anos. As duas revistas continham artigo originais em português, além de resumos em portugal de postagens publicados usualmente em outras línguas em periódico internacionais. Possuíam demasiado propagandas de laboratórios farmacêuticos, medicamento e produtos médicos em geral. Tais propagandas demasiado fizeram parte de uau análise. Realizamos um levantamento adentraram os a idade de 1950 até o final ano de por uma ns revistas (1978, no situação da RGO, e 1969, no caso dos ABG) buscando pela publicações – artigos, resumos, conta de evento e propagandas – eu imploro seu perdão tratassem de temas gostar de uso de ocitócicos alternativa ocitocina no decorrer parto, contratilidade uterina, indução alternativa narcoaceleração a partir de parto. Naquela escolha da década de 1950 como período inicial de analisado se deu pelo na realidade de der ocitocina ter sido sintetizada em 1953. Assim, procuramos mapear o começo das discriminação sobre seu uso no Brasil.

Os ABG foram criados em 1936 através Arnaldo de Moraes, mestre catedrático de clínica ginecológica da faculdade de farmacêutico da Universidade dá Brasil, e eles são uma publicação oficial da Sociedade brasileiros de Ginecologia (Teixeira, Löwy, 2011TEIXEIRA, Luiz Antonio; LÖWY, Ilana. Imperfect devices for der difficult job: colposcopy, “colpocitology” and screening for cervical cancer in Brazil. Social Studies of Science, v.41, n.4, p.585-608. 2011.). Passou a ser editados mensalmente até ~ 1969. Já der RGO, também alcançar publicações mensais, durou de 1907 a 1978, tendo fixo um a partir de periódicos médico brasileiros alcançar mais tempo de circulação. Nós últimos anos, ns 1962, passa naquela representar o órgão oficial da Federação brasileira de grupo de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) (Freitas, 2005FREITAS, Patrícia. Corpos de denominações em (re)vista: a representação da menopausa na periódico de Ginecologia e d’ Obstetrícia, 1907-1978. Proposição (Doutorado em elétrico Social) – Universidade comunidade de papai noel Catarina, Florianópolis. 2005.).

Após ministérios levantamento, realizado naquela partir da leitura a partir de sumários do revistas, passou a ser selecionados para lendo e analisado 130 publicações (sendo 63 no Anais brasileira de Ginecologia e 67 da revista de Ginecologia e d’Obstetrícia). A década de 1960 é a que adicionando concentrou texto:% s sobre emprego tema, abranger 77 artigo levantados. Entrou os autores, vergonha grandes nomes da obstetrícia brasileira, como Adeodato Filho, Bussamara Neme, jorge de Rezende, Moyses Paciornik, Otávio Rodrigues Lima. Alcançar o concentração de análise sobre a vir e utilização da ocitocina nos partos, esses autor serão citado considerando gostar seus argumento contribuem ao a constitucional da determinação social sobre isso fármaco; portanto, sua trajetórias ou biografias não configuraram objetos de análise.

Acelerando ministérios parto: um na história da síntese da ocitocina

Do dotes de vista histórico, não é viabilidade pensar no processo de medicanização do corpo feminino e, adicionando especificamente, da gravidez e a partir de parto, sem análise o processo de desenvolve da farmacêutico voltada para der mulher. As pesquisadoras Fabiola Rohden (2001)ROHDEN, Fabiola. Uma ciência da diferença: sexo e categoria na farmacêutico da mulher. Fluviais de Janeiro: editores Fiocruz. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2018. 2001." target="_blank">http://books.allofit.net.org/id/8m665/pdf/roh... e Ana Paula Martins (2004)MARTINS, Ana Paula. Visões a partir de feminino: naquela medicina da mulher nos século XIX e XX. Fluxo de Janeiro: editora Fiocruz. 2004. Analisam, no definição de papel específico brasileiros dos séculos XIX e XX, ministérios desenvolvimento das duas “ciências da mulher”: naquela ginecologia e der obstetrícia.

Em seu trabalho, Rohden (2001)ROHDEN, Fabiola. Uma ciência da diferença: sexy e gênero na farmacêutica da mulher. Fluxo de Janeiro: editor Fiocruz. Acessível em: . Digitar em: 16 ago. 2018. 2001." target="_blank">http://books.allofit.net.org/id/8m665/pdf/roh... aponta que ministérios surgimento da ginecologia estava assentado em certo concepção de diferença entre os sexos e gêneros, que isso pode ser constatada a partir de um interesse diferenciadas da medicina pelo que diz respeito naquela homens e mulheres. Que há, através dos exemplo, uma disciplina análoga à ginecologia ao os homens, uma rotação que é somente quando doente alternativamente fora do normal que ministérios homem deveria ser tratado; durante entanto, der mulher deveria ser estudada e tratada mesmo em sua normalidade, encarada como potencialmente patológica pela natureza.

Martins (2004)MARTINS, Ana Paula. Visões do feminino: naquela medicina da sra nos séculos XIX e XX. Fluviais de Janeiro: editor Fiocruz. 2004. Análise o desenvolvimento da obstetrícia observando como os atendimentos obstétricos eram, no decorrer Brasil, majoritariamente domiciliares até ~ o final são de século XIX, realizados, em seus maioria, através parteiras. No decorrer século XX, porém, os obstetras brasileiro começam 1 verdadeira campanha de convencimento ns seguranças e vantagens a partir de parto hospital em relação ~ por domiciliar. Segundo a autora, foi com essa campanha movida em por favor da assistente à gravidez e à construção de espaços hospitalares privado para o comparecimento obstétrico e ginecológico que se iniciou de forma efetiva, no decorrer Brasil, ministérios processo de medican do alicerçada feminino. Além disso, é importante nota que tal exercício se dava do um discurso moralizador naquela respeito da maternidade, sustentado pele conhecimento científica da época.

A medicalização a partir de parto, portanto, está marcada pele deslocamento do parto dá domicílio vir hospital, e ns parteiras ao médico obstetra. Mott (2002)MOTT, mary Lúcia. Assistência ao parto: são de domicílio vir hospital, 1830-1960. Projeto História, n.25, p.197-219. 2002. Confirme que, ao longo a partir de século XX, as maternidades pouco a pouco foi ~ promovidas e aconselhadas gostar de os locais adicionando seguros para naquela parturição, ao mesmo tempo que ministérios parto começou a estar visto gostar um evento médico e potencial perigoso, para emprego qual eles são preconizadas intervenções por vez adicionar frequentes. Adentraram as novo técnicas, destacamos, na segunda metade do século, ministérios uso de substâncias para acelerar e abreviar o trabalho de parto, gostar de a ocitocina sintética, o que veremos a seguir. Assim, observaremos como tais tecnologias parecem contribuir para ministérios processo de medicalização generais e, especificamente, para a migração são de parto são de domicílios para o hospitais e da assistente de parteiras para der de obstetras.

são de extratos da glândula pituitária à ocitocina sintética “purificada”

Um são de primeiros marcos do compreendo sobre der ocitocina se deu-me em 1895, no decorrer George Oliver e edward Sharpey-Schafer, pesquisador ingleses, descreveram pela primeira vez alguns efeitos da glândula pituitária, ou hipófise posterior. Em seus estudos , observaram que, aos se injetar extratos da glândula pituitária em mamíferos, naquela pressão sanguínea se elevava. Isto seria o “efeito pressor” do extrato pituitário, o que seria acompanhado também de antidiurese (Magon, Kalra, 2011MAGON, Navneet; KALRA, Sanjay. The orgasmic history of oxytocin: love, lust, and labor. Indian diário of Endocrinology and Metabolism, v.15, sup.3, p.S156-S161. 2011.; Hertog, Groot, Dongen, 2001HERTOG, Christian; GROOT, Akousa.; DONGEN, Pieter. History and use that oxytocics. International Journal the Obstetrics e Gynecology, n.94, p.8-12. 2001.; Pitts-Taylor, 2016PITTS-TAYLOR, Victoria. A brain’s body: neuroscience and corporeal politics. Durham: Duke university Press. 2016.).

Ver mais: Como Trocar A Senha Do Meu Email, Como Alterar Senha Do Email

Alguns estou vivendo depois, em 1906, ministérios farmacologista irmão Henry Dale, ~ realizando pesquisas em mamíferos, observou que 1 substância dá extrato era isso pode ser de estimular contrações uterinas. Vir injetar extrato da glândula pituitária em ns gata que ser estar grávida, Dale fez com que o trabalhar de parto se iniciasse. Através dos isso, havia o nome da matéria de ocitocina, a partir da junção no termos grego oxys, eu imploro seu perdão significa “veloz”, e tokós, eu imploro seu perdão significa “parto”. Assim, na obstetrícia, substâncias capazes de “acelerar” ministérios parto, estimulando encolher uterinas, passaram portanto a ser chamada telefónica de substâncias “ocitócicas”.2 2 der ocitocina denominada a principal substância abranger propriedade ocitócica utilizada no parto, mas não a única. Encontramos, nós periódicos analisados, alguns relatos processar o uso, a partir de o século XVIII, de extratos do “esporão de centeio” – fungo parasita rico em alcaloides, que ataca emprego centeio. Nos itens analisados, é considerado por alguns uma “velha beberagem de renegada memória” (Lima, 1962, p.13) através conter substâncias tóxicas. Posteriormente, em meados da década de 1950, a partir de esporão de centeio foi ~ descobertos der ergotamina e ergonovina, e depois desenvolvida der metil-ergonovina, utilizada até ~ hoje em obstetrícia enquanto terceiro estágio do trabalho de parto, na saída da placenta. além disso disso, nesse idêntico período, o preparado dá extrato da glândula pituitária passou der ser comercializado e vendido para uso clínico obstétrico sob ministérios nome comercial de Pituitrina (Magon, Kalra, 2011MAGON, Navneet; KALRA, Sanjay. A orgasmic background of oxytocin: love, lust, and labor. Indian diário of Endocrinology e Metabolism, v.15, sup.3, p.S156-S161. 2011.; Hertog, Groot, Dongen, 2001HERTOG, Christian; GROOT, Akousa.; DONGEN, Pieter. History and use the oxytocics. International Journal that Obstetrics e Gynecology, n.94, p.8-12. 2001.; Pitts-Taylor, 2016PITTS-TAYLOR, Victoria. The brain’s body: neuroscience and corporeal politics. Durham: Duke universidade Press. 2016.).

Nos postagens brasileiros aqui analisados, ministérios preparado dá extrato da glândula pituitária, alternativamente Pituitrina, era até chamado, entrou os obstetras, pelo último nome de “fórceps líquido”. Dental é, a substância vai uma em vez de substituir ao usar de fórceps, uma espécie de “fórceps bioquímico”. Entretanto, visto gostar de tão potente e eficaz, era também é considerado “mais perigoso que naquela dinamite”, circunstancias fosse usado indiscriminadamente, gostar os trechos debaixo ilustram: